Varizes e gestação: como tratar

Durante a gestação é normal as mulheres apresentarem problemas circulatórios (retenção de líquido, varizes e outros) devido ao aumento de peso ou baixa mobilidade (por indisposição ou cansaço).

Eu, durante a gestação da Isa, fiz hidroginástica e sessões de drenagem linfática suave, para evitar a retenção de líquido e melhorar a circulação. Mas na gravidez do Otavio… não fiz nada. E fiquei bem preocupada pois os “vasinhos” poderiam dilatar e as varizes, aparecerem.

 

Muito mais que um desconforto estético, as varizes podem representar um grave problema de circulação. Com o nome técnico de Insuficiência Venosa Crônica (IVC), é uma doença progressiva, na qual as válvulas que levam o sangue para o coração e o músculo da panturrilha deixam de funcionar adequadamente, provocando acúmulo de sangue nas pernas e a dilatação das veias. Quando não tratada, pode provocar inchaço, cansaço e até complicações mais sérias como úlceras e sangramentos.

varizes

Varizes ou Insuficiência Venosa Crônica (IVC)

Frequentemente designada como varizes, a IVC é muito comum, duas vezes mais prevalente que a doença coronariana e 5 vezes mais prevalente que a doença arterial periférica. A IVC traduz-se em uma anomalia do sistema circulatório dos membros inferiores. As válvulas das veias das pernas, responsáveis por fazer com que o sangue circule contra a força da gravidade, não funcionam adequadamente, o que resulta no retorno do sangue, que fica estagnado e não consegue subir até ao coração.

Uma das principais causas é a hereditariedade. Em segundo lugar, está a gravidez – razão pela qual a incidência da doença em mulheres é muito maior. Outras causas incluem o tabagismo, o excesso de peso, a permanência prolongada na posição de pé e atividades nas quais é necessário realizar grandes esforços, que prejudicam a circulação.

Perceber a existência das varizes não é difícil. Localmente, as veias ficam dilatadas e deformadas, tornando-se visíveis e de aspecto sinuoso. Manifestam-se, essencialmente, de duas formas: telangiectasias, mais conhecidas como vasinhos; e veias varicosas, mais conhecidas como varizes. Os sintomas também incluem sensação de peso nas pernas, inchaço, coceira e cãibras.

Varizes: Tratamento

Para tratar o problema de forma mais eficiente e minimamente invasiva, a Medtronic desenvolveu um procedimento que utiliza o calor da radiofrequência para realizar a ablação (cauterização) da veia afetada. Todo o processo é rigorosamente controlado por um gerador computadorizado, que ajusta os níveis de energia para alcançar um aquecimento constante da parede do vaso, dando ao médico a certeza de oclusão da veia e garantindo a segurança do paciente.

“Além de reduzir o tempo de recuperação do paciente, que pode retomar sua rotina em poucos dias, o método possibilita o uso de anestesia local e resulta em mínimas ou nenhuma cicatriz”, destaca o Dr. Guilherme Peralta, cirurgião vascular e endovascular, diretor do CATV (Centro Avançado de Tratamento de Varizes), clínica especializada no tratamento de varizes.

“Em relação a outros tipos de cirurgia, a radiofrequência tem a vantagem de acarretar menos dor e hematomas no pós-operatório, além de ser realizada de forma minimamente invasiva com material totalmente descartável”, complementa o Dr. Eduardo Brigidio, cirurgião vascular e endovascular, coordenador da residência médica de Cirurgia Vascular do Conjunto Hospitalar do Mandaqui, em São Paulo.

Para ajudar na conscientização sobre os perigos da IVC e de não tratar as varizes, além de explicar mais um pouco sobre o procedimento e os benefícios da radiofrequência, eles lançaram o site Tratando Varizes (www.tratandovarizes.com.br). A página da internet conta com explicações detalhadas e fáceis de entender sobre o problema, seção de mitos e verdades, perguntas e respostas frequentes, além de indicação de especialistas no tratamento desse mal.

O procedimento é um tratamento minimamente invasivo com material totalmente descartável para insuficiência venosa crônica (IVC), que utiliza o calor controlado e consistente entregue pelo cateter para selar a veia doente. Depois que a veia é fechada, o sangue flui naturalmente para as veias saudáveis mais próximas.

Ao contrário de dolorosas cirurgias de retirada de veia ou ablação por laser, o cateter oferece calor uniforme e consistente para cada segmento, a temperaturas que não excedem 120°C. Como resultado, o procedimento provoca menos hematomas2 e permite alívio e recuperação mais rápida do paciente1.

É FUNDAMENTAL o apoio do seu médico para o diagnóstico correto e definição do tratamento adequado. Não se auto-medique, especialmente se estiver grávida.

Beijos e uma semana cheia de saúde,
Lele

Referências:

1- Proebstle TM, Alm BJ, Göckeritz O, Wenzel C, Noppeney T, Lebard C, et al. Five-year results from the prospective European multicenter cohort study on radiofrequency segmental thermal ablation for incompetent great saphenous veins. Br J Surg. 2015;102(3):212-8.

2- Almeida JI, Kaufman J, Göckeritz O, et al. Radiofrequency Endovenous ClosureFast Versus Laser Ablation for the Treatment of Great Saphenous Reflux: A Multicenter, Single-Blinded, Randomized Study (RECOVERY Study). J Vasc Interv Radiol. 2009;20:752-759.

 

Tags: , , ,

2 comentários em "Varizes e gestação: como tratar"

  1. Gabis Miranda disse:

    Graças eu não tive nada em nenhuma das minhas gestações, mas tb tratei de me prevenir e me cuidar.Confesso que ficava mais ligada em estrias e nunca em varizes – algo que é bem recorrente, né?! Ótima pauta!

    1. Eu não tive nenhuma das duas, mas a gestação é uma bomba para o corpo né?
      Precisamos estar atentas!!
      beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2008-2016 © Eu, ele e as crianças | Criação: Helena Sordili | Desenvolvimento: Carranca Design Carranca Design por Felipe Viana